Os Aromas do Vinho

Frutado, floral, frutas vermelhas e pretas, manteiga, nozes, couro, chocolate, tabaco... Já se perguntou de onde vêm todos estes perfumes que os especialistas comentam nos vinhos? Pois este post te apresenta um pouco mais sobre como identificar os aromas na bebida. Aproveitamos para te contar o que é Bouquet e o que ele tem a ver com os aromas do vinho. Então, vamos lá! 🤔



Primeiro, vale ressaltar que os perfumes surgem naturalmente nos vinhos (sem adição de substâncias para tal) e que é completamente comum ter dificuladades em identificá-los! Para se tornar um mestre é preciso técnica, conhecimento e muita prática. Então, vamos abrir uma garrafa e começar a estudar! No começo, ficar cheirando a taça em busca dos aromas da bebida pode parecer estranho, difícil e até cômico. Mas é mais tranquilo do que parece, basta abrir a mente para sua memória gustativa e turbinar seu olfato. Algumas pessoas tem mais dificuldade em se lembrar dos perfumes, neste caso podes tentar comparar alguns vinhos - sinta o cheiro de um tinto potente, como um Tannat, e depois troque por um branco leve ou espumante, Chardonnay, por exemplo. Certamente vais perceber que os perfumes e tons são muito diversos! Além disso, não só pelo olfato percebemos os cheiros, o paladar pode ajudar (não à toa paramos de sentir sabores quando estamos gripados), é o famoso retrogosto.


Os sentidos se relacionam, use isso a seu favor: cheire, prove, cheire novamente, compare e então tire suas conclusões.


Agora, porém, vamos às partes técnicas. Os aromas dos vinhos são divididos de três formas: Primários, Secundários e Terciários - e estão relacionados com sua origem. A seguir vamos conhecer melhor cada um deles...


Primários

Este são os primeiros aromas que surgem no vinho, geralmente são aqueles aromas próprios das uvas, por isso são chamados também de aromas varietais. Estes perfumes podem variar de acordo com a cepa, terroir, clima, cultivo e maturidade da uva, geralmente são aromas frutados ou florais, que nos remetem diretamente à fruta e são mais facilmente percebidos.


Exemplos: Frutas vermelhas, frutas negras, frutas cítricas, frutas tropicais, flores brancas ou ervas verdes.


Secundários

Os aromas secundários são aqueles gerados durante as fermentações da bebida, nestes processos o vinho adquire perfumes, ganha complexidade, profundidade de sabores e torna-se este festival de sensações que amamos. Os fungos e bacteriais agem tão profundamente que um vinho pode se tranformar completamente com as fermentações.


Exemplos: Pão, biscoito/bolacha, manteiga, queijos, coco, baunilha, especiarias, trufas ou cogumelos.


Terciários

Por fim, os aromas terciários são aqueles que surgem com o tempo e podem ir sendo adquiridos durante muitos e muitos anos. Podem ser resultado do envelhecimento em barrica e/ou da guarda dos vinhos na garrafa mesmo. Os franceses possuem um termo especial para se referir a este tipo de aromas: Bouquet! Esta nomenclatura é usada apenas para os vinhos que possuem aromas provenientes do envelhecimento, às bebidas mais jovens não é comum aplicar este termo - neste caso chamamos de aromas terciários mesmo. As notas e nuances de perfumes podem ser os mais diversos neste momento, afinal o vinho é uma bebida viva, em constante mutação. Agitar um pouco a taça e deixar que o vinho oxigene pode ajudar a liberar estes perfumes que são, via de regra, mais discretos que os dois anteriores.


Exemplos: Mel, chocolates, cacau, café, caramelo, folhas secas, tabaco, carvalho, madeira, couro ou nozes.



DICAS

Para finalizar aqui vão algumas dicas para te auxiliar durante a degustação de um rótulo, assim ficará bem mais fácil identificar os aromas presentes na bebida:

- Beba, pelo menos um pouquinho, antes de comer qualquer coisa. Isso garantirá que seus paladar e olfato estarão limpos para apreciar o vinho.

- Segure corretamente a taça, pela haste, assim os perfumes que tiveres nas mãos (como cremes, sabonetes, álcool gel, etc) não interferirão na sua avaliação, ficando distantes do nariz.

- Evite locais muito perfumados, velas aromáticas, fumo, perfume em excesso, incensos, podem atrapalhar na avaliação dos aromas, principalmente no começo.

- Sirva só um pouco de vinho, não mais que 2/3 da taça, assim a bebida oxigena, os perfumes afloram e tu podes degustar com calma, sentindo tudo o que há no vinho!



Agora é só abrir a garrafa que quiseres e ir provando e provando até virar um expert na avaliação dos aromas... Então, Saúde! 🥂

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 by Saca-Rolhas. Proudly created with Wix.com

1614083168504.png