• Felipe Ruzene

Portugal e seus Vinhos

Atualizado: Ago 21

Ah, Portugal! Terra de grande História, de magníficos poetas (como Camões e Pessoa), de uma gastronomia notável e, é claro, vinhos incríveis. O país é um dos mais tradicionais produtores da bebida no mundo, produzindo singularidades como o Vinho do Porto, Madeira e Verde, os vinhos portugueses encantam até os mais exigentes nomes da crítica especializada. Se queres saber um pouco mais sobre a produção vitivinícola de Portugal, este post é para ti!



Ao todo Portugal possuí 14 regiões demarcadas, apesar do número baixo em quantidade a expressividade destas áreas é enorme - são mais de 250 uvas nativas cultivadas em cerca de 199 mil hectares, a quarta maior área da Europa. Destes, 174 mil hectares (88%) é destinado ao cultivo de uvas para produção de vinhos de Indicação Geográfica (IG) ou Denominação de Origem Controlada (DOC).

As regiões vitivinícolas portuguesas são tais: Vinhos Verdes, Trás-os-Montes, Douro, Távora-Varosa, Dão, Bairrada, Beira Interior, Lisboa, Tejo, Península de Setúbal, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores. Abaixo falamos um pouco mais sobre algumas das principais e mais famosas destas denominações, divididas em três perfis principais:


Perfil Atlântico

Regiões: Vinho Verde (Minho), Bairrada (Beira Atlântico) e Lisboa.

Esta região apresenta temperaturas moderadas, ventos frescos, umidade e chuva durante quase todo o ano, gerando um terroir único em Portugal. Seus vinhos são pouco adocicados, por isso geram rótulos de menor percentual alcoólico que possuem um frescor natural (característico das próprias uvas) e considerável acidez. Via de regra são vinhos bastante fáceis de consumir, agradando os mais diversos paladares. Os rótulos tintos possuem corpo médio ou baixo, com sabores marcantes e muito aromáticos, rememorando os perfumes florais.


Perfil Continental

Regiões: Douro, Dão, Beira Interior e Alentejo Norte.

Esta região produz vinhos mais encorpados e ácidos, apesar de, não raros, haver rótulos jovens e de corpo médio. Aqui encontramos taninos mais intensos e redondos, em vinhos com maior percentual alcoólico e alto potencial de guarda e envelhecimento. O perfil montanhoso ou continental apresenta um terroir excepcional e bastante elegante.


Perfil Mediterrâneo

Regiões: Tejo, Península de Setúbal, Alentejo Sul e Algarve.

Na região conhecida como Mediterrâneo, ou Planície, encontramos rótulos famosos pelo alto índice de açúcar e álcool (até por isso muitos deles recebem no Brasil o título de Meio-Secos ou Demi-Sec). A acidez de seus vinhos é baixo ou médio, devido correções no processo de vinificação, os taninos são bem suaves, pouco marcantes e elegantes. Os rótulos apresentam aromas e palatos bastante frutados e fáceis de consumir. Interessante notar que muitas das vinícolas destas denominações seguem os parâmetros do Novo Mundo, tanto na característica dos vinhos quanto na produção, sendo modernas e mecanizadas.



E, aí? O que achas dos vinhos de Portugal? Se ainda não conheces, vale a pena conferir. Afinal, como disse o grande poeta português Fernando Pessoa: "Boa é a vida, mas melhor é o vinho". Então, abra uma bela garrafa e Saúde!


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo