• Felipe Ruzene

Rocky Horror: Sexualidade e Teoria Queer

Artigo Científico intitulado: "Sexualidades em cena: da (hetero)normatividade ao queer em The Rocky Horror Picture Show (1975)" publicado pela Revista Vernáculo do Departamento de História da Universidade Federal do Paraná (UFPR).




RESUMO: Este texto visa apresentar a temática da sexualidade presente no filme The Rocky Horror Picture Show (1975) a partir da transformação experimentada pelas personagens principais, Brad e Janet. Ambos representam os padrões (hetero)normativos e monogâmicos, porém, a partir do contato com a pluralidade da micro-sociedade do castelo de Frank-N-Furter, passam por novas experiências e descobrem suas sexualidades e anseios. A escolha deste filme se deve ao fato dele subverter, veementemente, os padrões de normatividade e levar o público a se identificar com o “outro”. A dita “anormalidade” de seus personagens é abordada com muita naturalidade, ou mesmo, como algo preferível à normatividade vigente na sociedade. Produzido no contexto da contracultura, identificado entre os midnight movies, a obra é considerada, ainda hoje, como um grande símbolo dos movimentos minoritários e da comunidade LGBTQIA+.

PALAVRAS-CHAVE: História da Sexualidade; Cinema; Queer; Rocky Horror Show.


REFERÊNCIA:


RUZENE, Felipe Daniel. Sexualidades em cena: da (hetero)normatividade ao queer em The Rocky Horror Picture Show (1975). Revista Vernáculo: Revista Discente do Departamento de História da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, n. 49, p. 19-33, 2022.



10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo